quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Olhe-me como Sou



Olhe-me como sou
livre como um pássaro
vôo tão alto
como vôo rasante
vôo simples, natural.

Olhe-me como sou
presa do caule a raiz
linda e perfumada
nas cores variadas
morro se for cortada.

Olhe-me como sou
igual ao sol que aquece
como o frio do inverno
feito água da chuva
o vento que açoita
a natureza mais perfeita.

Olhe-me como sou
como a arte mais bela
a melodia extasiante
o sonho mais real
com a alma mais pura
neste Mundo verdadeiro.

Celso Ant. Dembiski