quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Hoje, um dia...



Hoje, um dia normal
que trago minha PAZ
apesar de alguns dissabores
preciso do meu sorriso
para minha luta continuar.

Hoje, um dia qualquer
que carrego em meu peito
carinho e muita dedicação
passando por tantos percalços
tendo meus pés sempre no chão.

Hoje, um dia simples
sem grandes pretensões
levando na mesma rotina
como se diz; feijão com arroz
mais um dia que se foi.

Hoje, um dia importante
como todos os outros também
quando se busca a felicidade
fazendo a liberdade prevalecer
e o Amor no peito renascer.

Celso Ant. Dembiski

Quando Eu



Quando eu me ausentar
sair correndo pelo Mundo
buscando meu espaço
até achar algum lugar
que eu possa me acomodar.

Quando eu me calar
porque algo aconteceu
talvez não seja o momento
para que eu me manifeste
sem saber o que dizer.

Quando eu me ferir
em decorrência das lutas
que travo a cada dia
sem medo de ir à labuta
no sustento da minha vida.

Quando eu me interessar
pela necessidade dos objetivos
para que algo possa acontecer
os desejos venham a se realizar
naquilo que eu possa concretizar.

Quando eu me negligenciar
estarei entregando os pontos
sem dar a devida atenção
aos sonhos que tanto almejei
deixando eles escorrem pelas mãos.

Quando eu me render
não será porque deixei de lutar
e sim, por aquilo que eu queria
numa das batalhas que travei
deixei meu coração se aprisionar.

Quando eu me tornar
aquilo que tanto espero
na certeza de tudo superar
mesmo com dificuldades do dia a dia
serei nesta vida, muito mais feliz.

Celso Ant. Dembiski

Grito de Angustia



Já gritei feito desesperado
deitado em minha cama
embaixo das cobertas
para que ninguém ouvisse
a noite caia lá fora
e dos meus olhos vermelhos
lagrimas é que escorriam
iguais a chuva que molha
angustiado pelos meus problemas
com medo de não conseguir
por vezes, eu até desisti
não busquei a solução
esperei em meu colo cair
mas a vida não é assim
eu precisava é despertar
para que eu pudesse recomeçar
acabar com o sofrimento
reconhecendo meus erros
em desabafo tão grande
para nunca mais fraquejar
e jamais ter que gritar
lamentando meu sofrimento.

Celso Ant. Dembiski

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Rompendo Barreiras




No romper do silencio
meu brado se fez alto
tamanha foi à alegria
que na tristeza eu vivia
não foi nenhum grito de dor
e sim, do mais puro amor
rompendo laços que prendiam
no silencio que me continha
nem tinha mais uma vida
que apagada ela se fazia
precisando de qualquer forma
explodir de dentro para fora
e somente com a conquista
para a felicidade extravasar
no peito um novo sentimento
de um amor tão verdadeiro
rompendo o instinto da dor
trocado pelo mais puro Amor.

Celso Ant. Dembiski

Meu Silêncio



No meu peito escondido
tudo entranhado
com medo de ser abordado
por isto fico calado
alinhavado na solidão
retido em meu canto
que nem lutar consigo
sofro com minhas dores
sem contar a ninguém
guardadas no peito
e nada eu exponho
temendo até os sonhos
não os liberto de mim
a solidão é o caminho
que persiste em seguir
enfim, fadado, tão só
meu dilema, meu silêncio.

Celso Ant. Dembiski

Momento Inesquecível



Quando sinto você
em meus braços
é como se estivesse
abraçando o Mundo
querendo te envolver
por inteira
em um abraço mútuo
e tão caloroso afago
sentindo que seu corpo
arde em chamas
clamando que meus braços
não se desprendam
buscando neste abraço
um intenso carinho
fazendo deste momento
único e tão inesquecível
num misto de alento
da fantasia e realidade
para que este Mundo
nunca mais se acabe.

Celso Ant. Dembiski