terça-feira, 18 de setembro de 2012

Palco da Vida



A cada novo amanhecer, descerram-se as
cortinas, para que eu possa escrever uma
nova página e tão somente eu, é que serei
responsável para encenar e viver a peça
que é exclusiva da minha vida.


O espetáculo começa logo que acordo,
fazendo dele suas primeiras linhas do ato e,
que por ele, conduzir toda minha trama
e assim, darei meu próprio sentido de
como deverei representar.


Sou único e protagonista da minha
própria arte, da qual depende apenas
e exclusivamente saber dirigir o espetáculo,
no qual apresentar a cada
momento dos fatos cotidianos.


Preciso aprender a contracenar em
todos os momentos da vida, para que
minha performance seja sempre real,
porque não tenho tempo de fazer qualquer
ensaio, neste que é o Palco da Vida.


Celso Ant. Dembiski

Tua Silhueta



Ao ver-te tua silhueta em sonhos
meus pensamentos voam alto
libertos na mais pura imaginação
trazendo-me tão belas recordações.


Aquele silêncio inerte que estava
já me faço em comportamento agitado
das mais loucas lembranças vividas
foram construídas por tão belas emoções.


Nesse voluntarioso presente recebido
meus desejos vão além do prometido
onde, apenas eu, posso agora lê-los.


Como em uma batalha que travo
busco respostas nesta silhueta que vejo
você, que me fez único e eterno amante.


Celso Ant. Dembiski

Folhas Secas




Sobre um mar de folhas secas caídas
que se formam como ondas coloridas
por todo caminho em que passo
até onde meus olhos conseguem enxergar
mostram apenas uma fase da vida.

Nas belas tardes de sol se pondo ao fundo
onde o reflexo expressa grande pureza
as folhas como madeixas largadas
que o vento teima transporta-las de lugar
formando montes e nichos da natureza.

Em meus olhos vislumbro tanta beleza
que mesmo espalhadas em qualquer canto
causam a impressão fantástica da vida
que exprimem nos ares desse mar de folhas
largadas feito um tapete a ser contemplado.

Já não são mais fortes em verde viscoso
agora fraquejadas em cores pardas amareladas
desmancham-se no farfalhar já sem vida
cumprindo mais um dos seus ciclos obrigatórios
para renovação do solo, as folhas secas caídas.


Celso Ant. Dembiski

terça-feira, 1 de maio de 2012

Vermelho da Paixão



O tempo passa

você não tenho

fico angustiada

desse marasmo

meus sonhos escarlates

tornam-se pesadelos

transformando meus dias

que parecem negros

em vermelhos da paixão.

Celso Ant. Dembiski


Sonhar




Verdade seja dita

toda noite eu sonhava

tinha somente você

nos meus pensamentos

fazia versos e rimas

só que no outro dia

de nada eu lembrava

para poder sonhar

tudo novamente

e nunca te esquecer.

Celso Ant. Dembiski


Meu Jardim




O que encanta

em meu jardim

não são apenas

as belas flores e

os seus perfumes.


São também

as borboletas

abelhas e joaninhas

que ali vem

e dão mais vida.


Deixando colorido

um recanto florido

cheio de encantos

lugar aprazível

é o meu jardim.


Celso Ant. Dembiski

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Apenas




Roubaste-me

na pura inocência

de um beijo

o meu mais

sagrado desejo.


Celso Ant. Dembiski

Primeiro Encontro




Nosso encontro
estava marcado
nas estrelas predestinado
um sonho a ser realizado
quando você apareceu
tudo quer era mágico
logo veio e aconteceu
teus lábios delineados
carnudos e encarnados
os meus deixou manchado
e o corpo ficou arrepiado
uma excitação descomunal
parecia ser angelical
pura e tão ingênua
intensa e muito envolvente
deslizei pelas curvas do teu ser
selando o nosso encontro
o primeiro, de tantos outros.

Celso Ant. Dembiski

Cama de Cetim





A Penumbra desce

o cetim enruga

as rendas aparecem

teu corpo desnudo

a música suave

um vinho gelado

a noite promete

a entrega do prazer

entre eu e você

a conjunção do Amor.


Celso Ant. Dembiski

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Meu Coração



Quantas vezes já me perguntei
qual é o tamanho do meu coração
não sei a extensão dos sentimentos
porque são tantas as emoções.

Qual é a velocidade dos pensamentos
que faz pulsar as batidas do coração
porque é quando eu te encontro
ele quase salta para fora do meu peito.

Numa busca de tantas explicações
acabo descobrindo que estou vivendo
as mais diversas sensações existentes.

Em um misto de tantos sentimentos
minhas descobertas ainda são pequenas
escondidas dentro deste meu coração.

Celso Ant. Dembiski

Na Penumbra



Esconde teu corpo
atiçando meus sentidos
aguçando minha libido
quase nada eu vejo
apenas toco, eu sinto.

Tudo é tão atraente
cada toque envolvente
sentindo a pele
na ponta dos dedos
também a cada beijo.

Num desejo indiscutível
o perfume inebria
nossos corpos entrelaçados
em perfeita sincronia
se amando na penumbra.

Celso Ant. Dembiski

Folha em Branco



Ah! Você nem imagina
essa folha toda branca
sem qualquer linha traçada
parece apagada, sem vida
transforma-se num momento
quando minha caneta pena
que sem dó nem piedade
macula toda em tinta azul
dando assim, sinal de vida
com um imenso carinho
rabisca palavras tão intensas
na qual você bem absorve
a tinta fria e molhada
que na firmeza da mão
suaviza com a caneta pena
dando alegria ao ser preenchida
com a merecida dedicação
de quem gosta de transcrever
com volúpia e muita paixão
agora esta folha toda transcrita
carrega parte da minha vida
e para sempre ficará marcada.

Celso Ant. Dembiski

quinta-feira, 29 de março de 2012

Hum! Esse Amor Proibido



Hum! Esse amor proibido
deixa-me muito atiçado
de tal forma me agride
que fomenta minha libido.

Hum! Esse amor proibido
parece ser fruta do pecado
quando se mostra atrevido
pedindo para ser devorado.

Hum! Esse amor proibido
leva-me a caminhos desconhecidos
alço alto, em vôos insanos
no peito os desejos mais profanos.

Hum! Esse amor proibido
será que é inferno ou paraíso
vou aproveitar cada momento
assim, não fico neste martírio.

Hum! Esse amor proibido
cresce num prazer tão ardente
que consome as minhas forças
só você que apaga essa chama.


Celso Ant. Dembiski

Esperança



O que sempre ouvimos, seja quem quer
que diga. “A esperança é a última que
morre.” Então, não podemos esmorecer,
precisamos crer que há dias melhores.

Sabendo que após cada noite, temos
um novo dia a enfrentar. Viver cada
minuto tão intensamente, onde as
emoções se manifestam tão livremente.

A cada atitude que tomamos,
consequências serão estabelecidas, visto que
somos responsáveis por nossos atos e,
devemos aceitar as o que acontecer.

Temos que aproveitar, para tirar o
máximo de proveito, de cada situação
sendo elas boas ou não, para
que tenhamos um belo aprendizado.

Temos que fazer com que todas as nossas
emoções, sejam vividas em sua plenitude.
Já que temos que acreditar, que a
Esperança é a última que morre.

Celso Ant. Dembiski

Apenas Silêncio





 O silêncio

é um tempo

que se consome

e nada

pode-se fazer

a não ser

calar e refletir

sobre o que

está a acontecer.


Celso Ant. Dembiski

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Essências da Vida




O Perfume e as flores

são essências da vida

por onde pairam

deixam seu rastro

contagiando corações

efeitos dos sorrisos

espalhando alegrias

por este Mundão.


Celso Ant. Dembiski

Olhe-me como Sou



Olhe-me como sou
livre como um pássaro
vôo tão alto
como vôo rasante
vôo simples, natural.

Olhe-me como sou
presa do caule a raiz
linda e perfumada
nas cores variadas
morro se for cortada.

Olhe-me como sou
igual ao sol que aquece
como o frio do inverno
feito água da chuva
o vento que açoita
a natureza mais perfeita.

Olhe-me como sou
como a arte mais bela
a melodia extasiante
o sonho mais real
com a alma mais pura
neste Mundo verdadeiro.

Celso Ant. Dembiski

Orar



Hoje eu preciso de Paz
para acalmar meu coração
tem dias, a angustia se faz
no peito, muita perturbação.

Tento controlar a ansiedade
que tanto me atormenta
minha vida cai em qualidade
porque sinto que a fadiga aumenta.

Incrédulo eu perco a esperança
fico sem animo para lutar
vou deixando a vida me levar.

Se eu parar e não mais reagir
será um sinal do meu desamor
agora me resta orar com fervor.

Celso Ant. Dembiski