quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Espelho d’água



Há quanto tempo não me via
simplesmente esqueci de viver
pois o tempo lá fora transcorria
eu apenas, deixava tudo acontecer.

Eu alimentava inúmeros sonhos
de um dia poder vir a concretizar
por isto que eu escrevia contos
era o que ainda me fazia lutar.

Dentro do peito muitos sentimentos
que eu os alimentava todos os dias
escutando as mais belas sinfonias.

Quando me encontrei de verdade
foi no espelho d’água estar refletido
liberando o amor que estava contido.

Celso Ant. Dembiski