quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Vagueio



Vagueio num Mundo de ilusões
com delírios tão incontidos
que fantasiam os sonhos
lá no fundo da alma
onde guardo toda a saudade.

Vagueio por bosques fechados
procurando por novos caminhos
só encontro obstáculos pela frente
cheio de galhos e muitos espinhos
mesmo assim, sigo meu caminho.

Vagueio por mares tão desconhecidos
enfrentando ondas de mar revolto
que atingem alturas imensas
carregando-me para mar aberto
na certeza algum lugar vou chegar.

Vagueio sem rumo como andarilho
aprendendo pelas próprias dificuldades
sinto-me até bem mais renovado
vivendo coisas que nunca imaginei
por lugares também, que jamais sonhei.

Celso Ant. Dembiski