quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Silêncio do Meu Espírito



O silêncio tanto me envolve
por um tempo tão infinito
que ao longe contemplo bonito
meu peito adentro se comove.


Um minuto num tempo qualquer
acordo e sinto-me tão distante
nos olhos um brilho bem radiante
não deixo de pensar em ti se quer.


Numa viagem quase tão louca
sigo apenas o meu próprio destino
indo sem rumo e sem desatino.


Voam, assim, meus pensamentos
por este Mundo ser tão infinito
no tempo, o silêncio do espírito.


Celso Ant. Dembiski