sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Sou Livre




Sou livre, bem liberto
não prendo, não uso grilhões
sou único, dono de mim
me doo, tudo compartilho
sem medo, sigo em frente
olhos atentos, vejo adiante
apenas desnudo, meu coração
pulsa ardente, todo velado
sem encenação, até esmorecer
pelo amor, ali incrustado
precisando brotar, para florir
sou livre, despido até a raiz.

Celso Ant. Dembiski