quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Grito de Angustia



Já gritei feito desesperado
deitado em minha cama
embaixo das cobertas
para que ninguém ouvisse
a noite caia lá fora
e dos meus olhos vermelhos
lagrimas é que escorriam
iguais a chuva que molha
angustiado pelos meus problemas
com medo de não conseguir
por vezes, eu até desisti
não busquei a solução
esperei em meu colo cair
mas a vida não é assim
eu precisava é despertar
para que eu pudesse recomeçar
acabar com o sofrimento
reconhecendo meus erros
em desabafo tão grande
para nunca mais fraquejar
e jamais ter que gritar
lamentando meu sofrimento.

Celso Ant. Dembiski