quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Meu Silêncio



No meu peito escondido
tudo entranhado
com medo de ser abordado
por isto fico calado
alinhavado na solidão
retido em meu canto
que nem lutar consigo
sofro com minhas dores
sem contar a ninguém
guardadas no peito
e nada eu exponho
temendo até os sonhos
não os liberto de mim
a solidão é o caminho
que persiste em seguir
enfim, fadado, tão só
meu dilema, meu silêncio.

Celso Ant. Dembiski