terça-feira, 18 de setembro de 2012

Palco da Vida



A cada novo amanhecer, descerram-se as
cortinas, para que eu possa escrever uma
nova página e tão somente eu, é que serei
responsável para encenar e viver a peça
que é exclusiva da minha vida.


O espetáculo começa logo que acordo,
fazendo dele suas primeiras linhas do ato e,
que por ele, conduzir toda minha trama
e assim, darei meu próprio sentido de
como deverei representar.


Sou único e protagonista da minha
própria arte, da qual depende apenas
e exclusivamente saber dirigir o espetáculo,
no qual apresentar a cada
momento dos fatos cotidianos.


Preciso aprender a contracenar em
todos os momentos da vida, para que
minha performance seja sempre real,
porque não tenho tempo de fazer qualquer
ensaio, neste que é o Palco da Vida.


Celso Ant. Dembiski