quinta-feira, 2 de maio de 2013

Abraçado




Abraçado em meu próprio peito
é como se passasse dias e noites
com as mais duras dores da solidão
em meu peito uma angústia danada
que fazem meus pensamentos voar
numa busca quase louca por explicação
a dor que sinto na alma pela desilusão
perdido, sem saber o que fazer direito
lágrimas de dor, rolam dos meus olhos
ainda, assim, eu sempre continuarei
 e nunca ficarei sem meu próprio amor
mesmo estando abraçado a solidão.

Celso Ant. Dembiski