terça-feira, 22 de março de 2011

Apenas Escritos



Tem muitos momentos na vida
que escrever já não adianta mais
pois, o coração chora sem parar
da saudade que me consome.

Parece que não tem mais sentido
as lágrimas caem sem cerimônia
dos sentimentos no peito oprimidos
precisando assim, poder me libertar.

E nesse pranto tão louco
das palavras que transcrevo
pouco eu consigo dizer
dessa saudade que levo no peito.

Palavras que falam de amor
soam como as pétalas das flores
exalam um perfume indecifrável
que ficam apenas no papel.

Por isto eu agora creio
que estas lembranças da saudade
colocadas no papel só ferem
porque agora não são só escritos.

Celso Ant. Dembiski