terça-feira, 23 de março de 2010

Batalha de Amor



Das batalhas que travamos
a maioria delas na cama
entre colchas e os lençóis
um emaranhado é que fica
com os lençóis amarrotados.

Numa busca tão frenética
mãos ávidas que procuram
sentir a pele toda macia
em cada toque mais ousado
o corpo ficando arrepiado.

Em cada palavra sussurrada
os desejos se aguçam
acendendo um fogo intenso
querendo assim saciar
nas entranhas que queimam.

Nos desejos mais loucos e insanos
saciamos o nosso intenso prazer
extasiados pelas deliciosas caricias
entregamo-nos inteiros por amor
em mais uma batalha entre os lençóis.

Celso Ant. Dembiski