sábado, 6 de março de 2010

Sem Medo da Noite



Por vezes torno-me notívago
não por medo da noite que cai
e sim, pelo gostoso silêncio
deixo levar-me pelos pensamentos
que loucos me fazem parecer
perambulando nos sonhos diversos
divago assim, noite adentro.

Sinto que minha alma flutua
como as mais densas nuvens
que buscam algo querer encontrar
nas entranhas de um novo Mundo
perscruto palmo a palmo seu linear
nos sonhos dos loucos pensamentos
estou eu nas noites a divagar.

Buscando em cada recanto da noite
um cantinho para poder assim ficar
analisando todos os meus pensamentos
pelos quais, minha noite estou a passar
vivenciando cada segundo adentro
como são meus verdadeiros momentos
sem medo do silêncio que a noite faz.

Celso Ant. Dembiski