terça-feira, 10 de novembro de 2009

Teus Olhos




Olhei dentro dos teus olhos
vi o brilho que e media
debaixo acima era olhado
notei que era por fora
que os teus olhos me viam.

Tentei descobrir as verdades
que neste instante existia
os olhos que só viam por fora
não condiziam com o que me dizia
porque não era a alma que sorria.

Do modo que eu era olhado
uma grande insegurança batia
no peito um sentimento pesado
que teus olhos me descreviam
era só por fora que eu existia.

Depois de tanta contemplação
descobri o que diziam seus olhos
no brilho que irradiavam
ao ver-me em estado bruto
não tinha sentimentos íntimos.

Teus olhos quando me viam
eram puros e tão sinceros
demonstrando total alegria
por desfrutar da minha companhia
era como amigo que me via.

Celso Ant. Dembiski