quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Belezas do Firmamento




Hoje, recordo-me do tempo
que para o céu ficava a olhar
vendo como o vento a empurrava
pareciam feitas de algodão
de tão puras e brancas
na imensidão do céu azul
e a mente ficava a imaginar
com qual animal se parecia
como estas nuvens encantavam
também não posso esquecer
das noites bem radiantes
cheia de estrelas conhecidas
e que de tanto ficar olhando
desenhos dos mais diversos
apareciam tão brilhantes
que bom tempo foi este
que deixei ficar esquecido
em meus olhos sumiram o brilho
por não admirar tal beleza
percebo agora que perdi
muitas coisas nesta vida.

Celso Ant. Dembiski