segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Ah Palavra




Ah Palavras!
Quando as pronuncia
sonetos de sinfonias
sons de melodias
sotaques da alegria.

Ah Palavras!
Ditas por amor
escritas com fervor
expressas com riquezas
mostrando o seu valor.

Ah Palavras!
Em teus lábios
astutas como afagos
propagam sem ousadia
irradiando alegria.

Ah Palavras!
Entoadas com firmeza
mostrando leveza
num ritual simétrico
aos ouvidos que a captam.

Ah Palavras!
Que pululam como o vento
algumas trazem paz
outras nem tanto
são rompantes de momento.

Ah Palavras!
Insinuam situações
provocando contrações
corando faces
dilatando os pulmões.

Ah Palavras!
Que bobas pronunciam
como num ritual
segredos desvendados
expõem sentimentos vividos.

Ah Palavras!
Escritas num papel
tremidas numa linha
emoção da paixão
ficarão ali marcadas.

Ah Palavras!
Recados deixados
grafados em qualquer lugar
configuram a união
dos eternos enamorados.

Ah Palavras!
Não importa como sejam
exprimem verdades ou mentiras
assim são lidas
nem sempre entendidas.

Ah Palavras!
Que cruzam o mundo
dançam como o vento
dos lábios entoam
sentimentos dos mais variados
raiva, ódio ou amor verdadeiro.

Celso Ant. Dembiski