segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A Vida Um Tabuleiro




A vida como um tabuleiro,
a cada passo conquistado,
um degrau galgado,
as peças num constante movimento,
na projeção dos desejos,
o avanço se faz necessário,
do passado que era sonho,
faz-se agora a realidade,
com o caminho que se mostra à frente,
sem medo de retornar,
agora o jeito é conquistar,
recuar já não dá mais,
como a brisa que avança,
seja ela no brotar da manhã,
ou no findar da noite,
o tempo não interessa,
se é de dia ou de noite,
seu andar vai depender de você,
o jogo de cintura que vai dar,
no brilho da luz do dia,
melhor vai poder enxergar,
ao longe mais coisas irá avistar,
à noite com a luz do luar,
de olhos fechados vai relembrar,
dos passos dado no dia,
irá ver coisas que antes não via,
além dos pensamentos irem mais adiante,
a buscar novos horizontes,
para cada novo canto,
encontrará as mais lindas melodias,
como em tudo que se lê,
a poesia se faz presente,
o jogo da vida se torna exigente,
todo passo que é dado,
faz-se necessário ser acertado,
em muitos que forem errados,
não terá retorno permitido,
e o recomeço um tanto dolorido,
o tabuleiro do jogo da vida,
que em frente tem que ser seguido,
em linha reta ou zigue zague,
não importa como seja,
a meta que foi imposta,
precisa de uma resposta,
lenta ou imediata,
com razão e muita emoção,
ganhar no tabuleiro da vida.

Celso Ant. Dembiski