quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Ser Poeta




O relato de um poeta
É como um desabafo
Escritos numa folha de papel
Para um dia ser exibido como troféu.

Eles nunca se acham
Os donos da escrita
Porque exprimem o que pensam
E não o que os outros dizem.

Alguns não se intitulam poetas
Pelas palavras narradas
Na maioria fictícia
Mas que dão sentido a vida.

Essa facilidade de escrever
É um dom de conhecimento
Mostrado com muito talento
Daqueles que sabem usar os argumentos.

Um amontoado de palavras
Com sentidos bem variados
Num contexto tão engraçado
Tudo o que se escreve é rimado.

Muitos temas são usados
Todos bem explorados
Dando um lindo significado
Naquilo que está sendo contado.

O que podemos falar
Destes ilustres personagens
Que muito nos satisfazem
Com suas lindas mensagens.

A cada estrofe lido
Nosso coração é aquecido
Alimentando nossos sentimentos
Com palavras emocionantes.

O que me leva a escrever
É saber que alguém ira ler
As minhas inspirações
Que aqui eu pude transpor.

Mas enquanto tiver este talento
Estarei transpondo com alegria
Em palavras quentes ou frias
Todas estas sensações para a poesia.

Quem sabe um dia
Quando tiver mais autonomia
Poderei intitular-me poeta
Ou mesmo um mero escritor de poesias.

Celso Ant. Dembiski