sábado, 17 de outubro de 2009

Amor Além do Infinito




A minha pressa é tamanha
que preciso chegar onde você está
no peito uma angústia danada
os dedos nas mãos entrelaçados
já não mais consigo segurar
as mãos suadas indícios dos meus desejos
tamborilam a procura do teu ser
como uma tempestade de fortes desejos
de tanto amor fluindo em meu interior.

Tamanhos são meus espasmos sentidos
na pressa de ter você comigo
os trovões que meu corpo emite
repercute como ecos de tanto tesão
insanos são meus violentos desejos
despejando numa chuva torrencial
uma tempestade que não tem igual
na forma em que meu corpo fica
da volúpia de tantas caricias.

Como as brasas que no peito queimam
meu corpo incandescente arde
com ventos fortes me arrasta
buscando estar sempre mais próximo
amenizando os impulsos do coração
que desritimado bate acelerado
em compassos nunca visto antes
carrega-me para um abismo profundo
na união de nossa comunhão conjugal.

Nossas almas voam livres
desembocando em rios navegáveis
tranqüilos a correnteza vai seguindo
amenizando nossos corações apaixonados
que hora submergem em emoções
arrastando ao fundo nossas tentações
como que perdidas se escondem
brotam nos sonhos constantemente,
trazidos pelas marés violentas de paixão.

Chocam-se indo de um lado a outro
na pressa de ter você comigo
desatinado ultrapassando os sentidos
afoito com atos impensados
quebrando barreiras pelo infinito
sem pestanejar vou seguindo sozinho
viajando pelos mais difíceis caminhos
passando rios, prados e montanhas
buscando a cada sinal o teu coração.

Esse meu corpo ansiando prazer
a boca rubra chamando atenção
de forma despretensiosa sorri
escancarada, quase escandalosa
em busca de algo antecipado
os sonhos sendo revelados
em alegria bem contagiante
faz meu corpo tremer todinho
por que logo terei você ao meu lado.

Celso Ant. Dembiski