sábado, 10 de outubro de 2009

A MULHER DE MEIA IDADE




Como todo fruto a seu tempo
na plenitude do amadurecimento
é o objeto de desejo dos homens
que nesta fase da vida buscam o prazer
a companhia da mulher de meia idade
que esta no auge de sua forma e beleza
mostra-se numa riqueza tão intensa
como o espírito em perfeita sintonia
o corpo em ebulição feito magia
sem a precipitação de se auto promover
um corpo que não é mais jovem
na fogosa idade que é irreversível
conserva as atitudes de uma adolescente
num processo de envelhecimento
onde as rugas aparecem levemente
os olhos brilham com maior intensidade
a depuração vai automaticamente acontecendo
porque a idade já não lhe pesa
mas ao seu corpo se interage e se integra
no aprendizado do seu dia a dia
também ensina com toda a sua sabedoria
já na idade de que cuidou do que plantou
recebe os louvores dos seus frutos
magia do tempo que a ela se mostra
fazendo-a vibrar com sua alegria
revigora na intensidade do seu prazer
tornando-se mais criteriosa a cada ação
buscando aperfeiçoamento pessoal e intelectual
mesmo não tendo estudo algum
só através do conhecimento que o tempo lhe deu
o corpo desabrochando como uma rosa no jardim
encantando com sua beleza e formosura
os homens se deleitam em poder olhar
onde todos querem tocar
como se fosse algo de seda ou o veludo
que os dedos tocam e deslizam suavemente
sentir o perfume adocicado exalar
em uma busca criteriosa e seletiva
do fruto que amadurece para a vida
onde muitos ficam a espera desta floração
e esquecem que precisam compartilhar
regando com muito amor e carinho
só assim poderão colher um dos melhores frutos
do qual irão desfrutar os melhores momentos
e jamais terão algum arrependimento
na consistência do cuidado deste fruto
e arraigando deste amor verdadeiro
não para o gozo se tornar prematuro
mas intensificar nesta mulher de meia idade
toda a essência do seu viver pessoal
na busca e da entrega do seu corpo
como a alquimia do seu próprio ser.

Celso Ant. Dembiski