quarta-feira, 26 de agosto de 2009

O Valor do Tempo


Fecho os olhos e sinto
não quero ver o tempo passar
pelo que sinto no peito
como um amor perfeito
já nem sei como viver
os sonhos são constantes
dos desejos mais alucinantes
já não conto os dias
nem conto mais as horas
cada minuto do meu tempo
é não deixar no esquecimento
das lembranças dos momentos
mágicos que ficaram no tempo
sem importar-se como foi
todos ficam a seu tempo
e a vida sempre a nos ensinar
um aprendizado inesquecível
ficará gravado para sempre
do valor do amor e respeito.

Celso Ant. Dembiski